Menu superior

28 fevereiro 2011

Conto - Roberto e suas MANIAS

Roberto tinha manias incuráveis pela sua idade, mania de anotar todas as senhas num mesmo lugar, mania de almoçar religiosamente nos mesmos horários, mania de falar alto, de ser ríspido, não gostar de dividi contas e sempre andava só. Novo, 39 anos. Sua última mulher não suportou suas manias e largou, Roberto havia se casado desde 20 anos umas três vezes e era difícil a convivência com um homem tão cheios de manias. Ele via tudo de maneira muito normal, não achava que era rotina, apenas características suas que fazia-o sentir bem. Foi com tempo se acostumando a não ter com quem compartilhar suas manias, nem mesmo seus filhos gostavam da maneira que vestia, cafona ao vê-lo com roupas de surfista da década de 80, querendo ser sempre uma menino que pelas rugas já não era mais, a barriga havia crescido, a largura também e seus filhos adolescentes não aceitavam rigidez exigida. Roberto, era diferente, não havia como negar, no começo as mulheres achavam ele um homem curioso, elas se confortavam por pensar que ele não iria mudar, mais no fundo, todos precisam de uma vez ou outra mudança, o tempo move-se e com ele vamos juntos, mudando a face e os aspectos. Era tantas as manias, de ligar a TV todo santo dia no mesmo canal para assistir uma programação esquisitas, de lê livros sobre apenas um tema: culinária. O que por sinal era o melhor fazia, encantava as pessoas através da cozinha, pratos lindos brotavam em suas mãos, mesmo sendo no trabalho ou na sua casa. Era uma criatividade e tanto com os sabores que encantavam paladares. Mais, era dificil até no trabalho superar suas famosas qualidades culinárias, sendo tão exigente com suas próprias manias, devido ao seu perfeccionismo nas escolhas, das carnes, das hortaliças e principalmente dos temperos. Porém, na culinária, essas manias se tornava vantagem, um potencial e tanto, pelo fato dele não mudar sua rotina dentro da cozinha, as pessoas tinham a chance de saborear a mesma delícia todos os dias, conseguia de uma forma e outra utilizar a mesma perfeição quase de um jeito mecânico, transferindo tudo de maneira sistemática, proporcionando a todos a possibilidade de provar suas mágicas.
Acabou por certo dia, envenenando-se com suas manias de não querer mudar, fazendo tudo igual a todo tempo. O tempo passou tão depressa, porque o tempo Roberto não gostava de olhar, continuou comendo de tudo na sua cozinha, até sua mania se tornar uma gula e daí por diante uma hipertensão, misturada com diabete e até nefrite conseguiu fazê-lo mudar. Mudar pelo lado mais delicado, o de se alimentar e assim, dando seqüência a outros hábitos.

27 fevereiro 2011

Felicidade - Teônia

Manhã sorridente e brilhante,

Dava para escrever no céu,
Meus poemas de amor,
Era a vida que ardia
Pedindo ação,
Pedindo água,
Rapidamente aprendi a lição,
Respirava meu sorriso de menina,
Meu olhar anunciava
A felicidade em torno daquela cidade,
Minhas palavras eram canções ao vento,
Tinha como base o amor e o divertimento,
Era tudo tão saudável,
Existia a estabilidade que logo se perderá
Ficaram gravadas as primeiras lições
De como ser feliz,
Até hoje procuro seguir essa cartilha,
E que maravilha,
Apesar de tantos desenganos,
Trago comigo esse tema
No âmago,
Por isso sorrio.
                          Por Teônia


25 fevereiro 2011

Quem eu Sou

"Sou um pedaço de molécula complexa procurando uma evolução cósmica. Sou uma molécula magnetizada em forma de corpo humano, sou um espírito evolutivo que buscar informação, busca conhecimento e saber. Assim, crescer e partir. Sou um ser navegante, passageiro de outros mundos. Estou aqui para contar coisa de um passado que vivi, coisas do presente que me faz sorrir ou chorar e coisas do futuro que sei que ainda está por vim"

Mari Assunção




Socorra-me

Socorra-me dos meus próprios pensamentos,
desta insegurança.
Medo do amanhã.
Socorra-me do vazio,
desse desperdício de tempo sem ninguém.
Socorra-me da minha escravidão
Por está presa dentro de mim
Socorra-me
Dai-me coragem
Fugir da depressão
Silenciar os gritos internos
Socorra-me da ilusão.
De ser quem eu sou
já não sendo o que sou.
Socorra-me
Aguardo em lágrimas,
sorrisos sinceros.
Socorra-me das palavras incertas.
Deste ultimo instante, suspiros lactantes.
Socorra-me desta angústia, lembranças do passado.
Nostalgias de um futuro,
Socorra-me dos amores sem fim.
Da voz engasgada.
Sussurrada, amargurada pelas noites de insonia
Socorra-me.

                Mari Assunção

24 fevereiro 2011

CHE

Até quando a Terra continuará assim?
Guerras, armas, inveja, maldade e ambição.
Não quero isso para futuras gerações.
Quero ir para o éden e não para o Amagerdon.
A ganância corrompe o poder cega!
Somos humanos, seres cheio de erros
Povos em conflitos
Gente mesquinha
Quero um super-homem ou alguém de verdade
para salvar as nações, as aberrações da maldade,
do labririnto do capital, do labirito de bancos, do labirinto do caos.
Quero um héroi ou alguém de verdade que faça uma nova proclamação,
estenda bandeira branca, fazendo com que eu participe da PAZ.

Mari Assunção
CHE

22 fevereiro 2011

TEMPO

...Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias, a que se deu nome de ano, foi um indivíduo genial. Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limete da exaustão. Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos. Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui pra diante vai ser diferente"

   Carlos Drummond de Andrade.

20 fevereiro 2011

DRAMA

Sou dramática!
Chorona
Desesperada!
Engraçada.
Sou dramática...
Choro com historias de amor.
Esculto músicas dos nossos pais
até de meus avós!
risos....
Sou dramática
Assisto MGM e TCM!
Mais dou risada do choro bobo
Do adeus mentiroso
Da palavra jurada
Da partida
Do abraço
Daquelas músicas melosas
Sou dramática, no fundo uma palhaça.
Metade lágrima e outa parte sorriso
Os dramas da vida
de trabalhadores de miséros minimos.
da sociedade de caos.
Do povo iludido.
Da historia se repetido.
Sou completamente dramática
Choro pelas desigualdades
Pelas injustiças.
Sou dramática como a poesia.
Sou dramática, sou Osíris
Danças, teatro, mistica, dengosa
saudosa, fogosa.
Choro amor, pelo teu calor!

***O drama nasceu no Egito, através da danças. Osíris, enquanto símbolo de um deus que renasce, foi o herói de uma verdadeira peça-mistério ou tragédia, na qual já estão contidos os três elementos essenciais do drama que, suplementado pela Grécia, tornou-se a base do teatro como ainda assistimos hoje: o agon (conflito) com seu irmão-inimigo Set, seu pathos (sofrimento ou paixão) e o anagnoisis (renascimento, sinônimo de esperança de salvação).

18 fevereiro 2011

Conto - Alunas

Fernanda cursava o 2º semestre do curso de Engenharia, quando teve a chance de ser aluna de um professor lindo e especialmente charmoso. Suas colegas de sala também admiravam o jeito de homem sério, mais que no fundo tinha uma cara de danado, mesmo utilizando seu terno e gravata. Cada semana de aula Fernanda ficava mais interessada na disciplina e nos assuntos abordado. Quando chegava o dia das suas aulas colocava uma roupa mais sexy que contornasse seu corpo para o Prof. Eduardo pudesse olhar não apenas como uma aluna, mais sim como uma mulher sensual. Sempre que tinha oportunidade tirava duvidas da sua matéria e gostava de ficar até um pouco mais tarde na sala para ficar sozinha com ele. Foi quando descobriu que Eduardo morava muito perto dela, percebeu então, que era a chance de ficar completamente á sois com ele e conhecê-lo melhor.
Numa noite de lua e no calor da primavera, uma carona dele, ela aceitou. No carro, conversa entusiasmada, Fernanda fica por ele encantada. Na segunda carona, Fernanda com as pernas amostra, sentiu a presença de Eduardo chegando bem próximo a sua pele, querendo, assim dar apenas um beijo no rosto de despedida, ele tocou suavemente nas suas coxas. Uma semana se passou. Na sala de aula percebia seu olhar desejando-a e recompensava da mesma maneira. Passando com mais freqüência pelos corredores da faculdade olhar-se e encontravam-se no meio de estudantes e professores. Na terceira carona, Fernanda sentiu um calor só de entrar no carro do Professor Eduardo, foi quando estavam a caminho de casa que Eduardo parou, dizendo que faltava algo em Fernanda, era seu sinto de segurança. Perguntou a ela se poderia colocar, deixando ele colocar suas mãos por entre meus seios até pegar o sinto. Quando se aproximaram, um beijo quente e fogoso queimou-se em paixão, um beijo tão gostoso e desejado por ele e por ela. Ficaram os dois a semana toda pensando no beijo. Nas outras caronas já ficava mais quente ainda, Fernanda tirava sua gravata e logo depois um beijo de carnaval (quente e gostoso) ela dava. Ele sabia tocar, passava suas mãos entre suas pernas com desejo de querer deixá-la louca, quando percebia seus suspiros de desejo, ele tirava sua roupa, lambia carinhosamente meus seios e tudo era muito rápido, cada segundo era aproveitado, cada instante era delicioso quando ele ficava perto dela.
Fernanda adorava o jeito serio que dele como Professor, mais com o tempo não havia mais carona, suas vidas tomaram seus rumos em caminhos diferentes e tudo ficou normal novamente. Foi um caso passageiro, um semestre, uma matéria, uma disciplina, uma paixão passageira. Aventuras das lembranças do coração.

16 fevereiro 2011

DIMENSÃO


"A ilusão ou imaginação como queiram dizer pode ser ou é uma realidade em algum mundo qualquer, em algum universo, em alguma outra constelação ou em alguma outra dimensão. Basta imaginar e sentir uma coisa verdadeiramente boa e tenha a certeza que se não aconteceu aqui ela aconteceu em outra dimensão"                   Mari Assunção        

13 fevereiro 2011

MAR DE ALEGRIA

Há um mar de alegria,
Que navego todas as manhãs
Num barco de fantasia
Com cores vivas entre harmonia.
Há um mar de alegrias
No meio do oceano de paz
Sol de sorrisos
Nuvens celestiais.
Há um  mar de alegrias
Em cima da minha cabeça
Com anjos em forma de crianças
Brincado de sorrir.
Há um mar de alegrias
Navego com paciência
Na espera do porto seguro encontrar
Navego todas as noites
Na doçura desse mar
Convido a todos de boas ou más intenções
Navegar para o caminho de luz
Onde posso mostrar sabedoria
Compartilhar a alegria!

Praia do Flamengo, Ipitanga e Villas



Foto João Raimundo...fotográfo da Prefeitura de Lauro. Imagem do Fim de Linha da Praia do Flamengo sentido Praia de Ipitanga e Villas!

















Vista do Vila Vilage - Villas do Atlântico.

12 fevereiro 2011

Chã de Bebê


Novas vidas estão para chegar....
Kiara, Marcelo, Vanessa, Antonio, Maria Luiza...
E entre outras milhões de criançinhas lindas!!!!

10 fevereiro 2011

MORRO DE SÃO PAULO

Neste pequenino filme pinta um português de pinta.
Ele é romântico e meigo, mas a noite vira lobisomem.
Tudo parece ser um vendaval de ilusões.
Eu e você no carnaval.
Há Carnaval, que Carnaval!
A felicidade de nada valeria
Na minha própria Bahia
Na ilha de reuniões da região
Não tenho companhia e nem carinho. Então a voz se cala.
E os dias se passam 
O filme de verão acaba!
Assim são os amores da Bahia.
Um português nobre
A latina da periféria.

PATINHO


A mágoa serve para nos lembrar que nos importamos com as coisas. A raiva é a energia necessário para mudá-las.





Não fique por aí dizendo que o mundo lhe deve a vida;
O mundo não lhe deve nada.
Ele já estava aqui muito antes de você.
"Mark Twain"

CÂNTICOS NEGROS

Vem por aqui" — dizem-me alguns com os olhos doces
Estendendo-me os braços, e seguros
De que seria bom que eu os ouvisse
Quando me dizem: "vem por aqui!"
Eu olho-os com olhos lassos,
(Há, nos olhos meus, ironias e cansaços)
E cruzo os braços,
E nunca vou por ali...
A minha glória é esta:
Criar desumanidades!
Não acompanhar ninguém.
— Que eu vivo com o mesmo sem-vontade
Com que rasguei o ventre à minha mãe
Não, não vou por aí! Só vou por onde
Me levam meus próprios passos...
Se ao que busco saber nenhum de vós responde
Por que me repetis: "vem por aqui!"?
Prefiro escorregar nos becos lamacentos,
Redemoinhar aos ventos,
Como farrapos, arrastar os pés sangrentos,
A ir por aí...
Se vim ao mundo, foi
Só para desflorar florestas virgens,
E desenhar meus próprios pés na areia inexplorada!
O mais que faço não vale nada.
Como, pois, sereis vós
Que me dareis impulsos, ferramentas e coragem
Para eu derrubar os meus obstáculos?...
Corre, nas vossas veias, sangue velho dos avós,
E vós amais o que é fácil!
Eu amo o Longe e a Miragem,
Amo os abismos, as torrentes, os desertos...
Ide! Tendes estradas,
Tendes jardins, tendes canteiros,
Tendes pátria, tendes tetos,
E tendes regras, e tratados, e filósofos, e sábios...
Eu tenho a minha Loucura !
Levanto-a, como um facho, a arder na noite escura,
E sinto espuma, e sangue, e cânticos nos lábios...
Deus e o Diabo é que guiam, mais ninguém!
Todos tiveram pai, todos tiveram mãe;
Mas eu, que nunca principio nem acabo,
Nasci do amor que há entre Deus e o Diabo.
Ah, que ninguém me dê piedosas intenções,
Ninguém me peça definições!
Ninguém me diga: "vem por aqui"!
A minha vida é um vendaval que se soltou,
É uma onda que se alevantou,
É um átomo a mais que se animou...
Não sei por onde vou,
Não sei para onde vou
Sei que não vou por aí!

CÂNTICOS NEGROS - José Régio

Obs: Escutltar essa poesia no CD Nosos Momentos na voz de Maria Bethânia.
José Régio, pseudônimo literário de José Maria dos Reis Pereira, nasceu em Vila do Conde em 1901. Licenciado em Letras em Coimbra, ensinou durante mais de 30 anos no Liceu de Portalegre. Foi um dos fundadores da revista "Presença", e o seu principal animador. Romancista, dramaturgo, ensaísta e crítico, foi, no entanto, como poeta. que primeiramente se impôs e a mais larga audiência depois atingiu. Com o livro de estréia — "Poemas de Deus e do Diabo" (1925) — apresentou quase todo o elenco dos temas que viria a desenvolver nas obras posteriores: os conflitos entre Deus e o Homem, o espírito e a carne, o indivíduo e a sociedade, a consciência da frustração de todo o amor humano, o orgulhoso recurso à solidão, a problemática da sinceridade e do logro perante os outros e perante a si mesmos.

09 fevereiro 2011

ORAÇÃO PARA FELICIDADE

Ó Deus, refresca e alegra meu espírito. Purifica meu coração. Ilumina meus poderes. Em Tuas mãos confio todos os meus interesses. És meu Guia e meu Refúgio. Não mais se apossarão de mim a tristeza e a ansiedade, e sim, o contentamento e a alegria. Ó Deus, jamais me entregarei à aflição, nem permitirei que os desgostos me atormentem ou as coisas desagradáveis da vida me inquietem. Ó Deus, és mais meu Amigo do que eu o sou de mim mesmo. Dedico-me a Ti, ó Senhor.


Escritos sagrados Bahá’ís

SOL

Amo o Sol


Pelo seu brilho

Por sua energia

Por ser uma estrela divina

Pela força e Magnetismo
 
Por aquecer minha alma nos momentos de frieza
 
Por ele ser o maior dos astros
 
Por ele alimentar e a ajudar a compor nossa Galácia.
 
Amo o Sol
 

07 fevereiro 2011

Viver é Bom

Estou tão feliz...um nova etapa se inícia, estou madura, mais fria e mais sensível. Só me falta um inspiração para minha estrela brilhar. Estou tão feliz!
A vida é formada de ciclos, por isso o simbolo da enternidade é um 8. Está vendo aquela bolinha de baixo? Estava lá em 2010 quando a escuridão apareceu e quase me levou para as trevas da ignorância...estou no meio do clico, ressurgindo através do amor que alguém especial me deu, um amor que alguém especial me mostrou.
Estou feliz porque tenho olhado o Céu e vejo aquele brilho do Azul que fazia tempo que já não conseguia enxergar!
A felicidade bate todas as manhãs a minha porta, dizendo baixinho que tem um mundo lindo a minha espera.
E a noite vou deitar abraçada nos braços de quem me deseja...de quem me protege. Estou feliz porque viver é bom!
Viver...é bom

 MARIANA ASSUNÇÃO

POLÍTICA

"A política é a arte de conviver.
Política não é a arte de corromper,
nem é a arte
da  guerra, de se vender dificuldades para colher facilidades.
Política é a arte de persuadir, de convercer para transformar"

                                                   Alice Portugal

06 fevereiro 2011

Johnny Alf

Ah, se a juventude que essa brisa canta
Ficasse aqui comigo mais um pouco
Poderia esquecer a dor
De ser tão só
Prá ser um sonho
E aí, então, quem sabe alguém chegasse
Buscando um sonho em forma de desejo
Felicidade então prá nós seria
E depois que a tarde nos trouxesse a lua
Se o amor chegasse eu não resistiria
E a madrugada acalentaria a nossa paz
Fica, oh, brisa fica, pois talvez quem sabe
O inesperado faça uma surpresa
E traga alguém que queira te escutar
E junto a mim queira ficar...


Johnny Alf -
(Um dos maiores compositores da história da MPB. Foi ele quem criou a bossa-nova, verdadeiro Pai da Bossa Nova)

05 fevereiro 2011

Sublime Solidão

Eu vou me isolar
Do mundo partir
Ir para algum lugar
Sumir daqui
Voar bem longe
para algum lugar
que não exista saudade
que não exista maldade
não exista ansiedade
Eu vou me isolar
numa solidão sublime
me libertar
Dizer a mim mesma
que vou amar coisas divinas
Eu vou me isolar
desse mundo sumir
levar comigo a sabedoria
deixar para trás
a material nela existente
desde do fogo
até o ar
ir para algum lugar
que possa conceber
uma doçura boa de viver!


 MARIANA ASSUNÇÃO

HOMENS

Por acaso do destino
Ele conheceu pedaço de caminho
Mulherão
E logo se esqueceu do seu amor
Para um quarto vazio a outra levou
Sentiu no corpo arrrepeios
Aventura barata, Aventura barata, aventura barata...
Essa ele disse tudo
A verdade foi clara
A outra aceitou
Novo lance ou novo amor
Passageiro como for
Essa outra é tranquila
Quase toda fria
Essa outra aceitou
Por isso ele pega no escuro
E assim ele continua na suas aventuras.
Com outras no escuro.
Sexo
Orgias
Tudo sem pudor
Isso a outra faz
Ele sempre quer mais
Aventura passageira
Algo sem valor
Coisas do prazer sem amor.

MARIANA ASSUNÇÃO

04 fevereiro 2011

CONCURSO PIERRE VERGER DE FOTOGRAFIA




Prêmio Nacional de Fotografia Pierre Verger 2010/2011

Inscrições: 20/12/2010 a 18/03/2011
Presencialmente: na sede da FUNCEB, de segunda a sexta-feira, das 14 às 18h (Rua Gregório de Mattos, 29 – Pelourinho – Salvador/BA).
Pelos Correios: envio à CAIXA POSTAL 2485, CEP 40.020-970, Salvador/BA.
Inscrições gratuitas
Realização: FUNCEB/SecultBA
Além de condecoração no valor de R$ 30 mil, o selecionado receberá apoio financeiro para a realização de uma exposição individual em Salvador e para a publicação de um catálogo com o ensaio, num investimento total de R$ 60 mil concedidos pela FUNCEB/SecultBA. O edital e seus anexos estão disponibilizados no site da FUNCEB

Dúvidas e informações: 3116-6935





TALMUDE

[ do hebraico] Codificação da lei civil e religiosa do judaismo pós-bíblico. Compõe-se de duas partes: a ¨Mishná¨, que é a lei propriamente dita, escrita em hebraico, e a ¨Guemara¨,que vem a ser seus comentários e interpretações, escritos em aramaico. O Talmude é formado por 63 livros legais , éticos e históricos.
Os judeus seguem o talmude com obediência cega

Não faças chorar uma mulher, pois Deus conta todas as suas lágrimas. A mulher fez-se da costela do homem, não dos pés para ser espezinhada, nem da cabeça para ser superior, mas sim do lado para ser igual (...) debaixo do braço para ser protegida e perto do coração para ser amada (Talmude)

A máxima sabedoria é a bondade (Talmude)

03 fevereiro 2011

CRISE MUNDIAL

O FMI alerta que desemprego e inflação podem provocar guerras entre países, os riscos da desigualdade e tensões sociais crescentes aumenta instabilidade social e política entre nações. A alta dos preços dos alimentos e combustíveis nos ultimos meses já afetou as nações mais pobres e é um dos fatores por trás das manifestações que vem ocorrendo na Europa e países Arábes...
Numa analíse mais futurista vejo uma "geração perdida" de jovens, destinados a sofrerem consequências das transformações sociais que vem acontecendo no mundo de hoje, desempregos e condições sociais piores poderam afetar uma leva de jovens que não poderam controlar a nova ordem da economia mundial. Mudanças de superpotências, de países estimuladores e possiveis guerras estão para refazer uma nova ordem mundial. Infelizmene armas e guerras como meu professor Roster dizia gera novos ganhos para o capital, porém, transforma culturas, gera incialmente o caos, e deixa sequêlas na civilização.
  

02 fevereiro 2011

A DANÇA DOS VÉUS

Hoje ganhei um livro de poesia A Dança dos Véus de Washington Queiroz (Antropólogo do IPAC, foi professor de antropólogia na UFBA).

Gostei desse Poema:

DO NOSSO ROSTO PARA NOSSO ROSTO
 
Duro mesmo
é habitar em nós
a nossa metira contidiana,
do nosso rosto                              para nosso rosto.
Dizer que permanecemos
concilia algns homens,
é verdade.
Quero o abismo,
a águia, a criança,
a dança incógnita dos vegetais,
o desequilíbrio da vida
que efervesce no peito
de alguns poetas!

                               (Washington Queiroz)

01 fevereiro 2011

JORGE VERCILO

Todos os dias....antes de ir para o trabalho esculto uma coletânia de Jorge Vercílo.
Amanheceu
como num segundo
Amanheceu
apesar de tudo
Amanheceu
um raio no escuro
Amanheceu
simples e absurdo
Amanheceu
uma nova era
renasceu da guerra
Amanheceu
um planeta mudo
Amanheceu
Era o fim da estrada
Era o fim do mundo ali
mas o sol brilhava
inacreditável em si
Não se imaginava
foi o fim de tudo, eu vi
mas o sol teimava
em raiar e resistir
E no mesmo dia
em que a "profecia do fim"
se revelaria,
eu te conheci assim...